terça-feira, 15 de março de 2011

A questão do excesso de massa muscular

Com a proximidade das olimpíadas o tema do uso de anabolizantes volta a estar em destaque, principalmente com a suspensão da atleta de natação Rebeca Gusmão. Esse fato me serviu de “inspiração” para abordar a questão do uso de esteróides por uma diferente perspectiva, do ponto de vista do treinamento de força no esporte.
Antes de tudo gostaria de deixar bem claro que sou totalmente contra ao uso de tais práticas, seja do ponto de vista moral (usar de recursos proibidos para se obter vantagem sobre os adversários) como do ponto de vista da saúde (usar esteróides faz mal!). Quero reafirmar SOU TOTALMENTE CONTRA O USO DE SUBSTANCIAS ILEGAIS COSIDERADAS DOPING!
Quero usar esse gancho para tentar debater sobre um tema polêmico (ou “mito”) que ainda cerca o esporte em geral, que é o treinamento com pesos e o desempenho esportivo. Costumo chamar isso de “a questão do excesso de massa muscular!”
Trabalho com tênis e pesquisando pela internet vejo inúmeros técnicos e especialistas do esporte falando a respeito dos malefícios que o “excesso de massa muscular” pode provocar ao tenista. Uns quilos a mais de músculo e é o fim, seu jogo será prejudicado! “Muito músculo deixa o atleta devagar”; “ Treinar com muito peso deixa a musculatura muito rígida e o atleta fica duro” ou “ O atleta que fica muito forte perde velocidade…”são frases que ainda escuto. Conversando sobre o tema com alguns colegas preparadores físicos de outras modalidades vejo que eles também encontram dificuldades em utilizar treinamento com pesos em suas respectivas modalidades, pois esses argumentos prevalecem!
é aqui que quero entrar, observando o caso Rebeca Gusmão de outro ponto de vista. Vamos por um momento desconsiderar os aspectos negativos do uso de esteróides, esquecer que são ilegais e que fazem mal e vamos compará–los com o treinamento de força no esporte:
Aqui vão os efeitos do uso de esteróides:
  1. Aumento da massa muscular
  2. Força
  3. Velocidade
  4. Potência
  5. Aumento geral de desempenho
  6. Inúmeros efeitos colaterais: aumento da pressão arterial, ginecomastia, disfunções hormonais e sexuais, possível prejuízo de órgãos como rins, fígado e coração por exemplo.
Agora vamos listar os efeitos do uso de treinamento de força no esporte:
  1. Aumento da massa muscular
  2. Força
  3. Velocidade
  4. Potência
  5. Aumento geral de desempenho
  6. Efeito colateral: possível risco de lesão se praticado de forma inadequada ou sem a correta orientação.
Ao que parece os efeitos 1 a 5 são os mesmos, não é?
Em função dos inúmeros comentários e opiniões de “gurus” e especialistas do esporte sobre aumentar a massa muscular do atleta e por isso que ele se torne lento, menos flexível ou prejudique sua técnica… Só posso dizer que não correspondem com os fatos!
Pois se tudo isso for verdade, os atletas seriam estúpidos de se arriscarem a serem pegos no antidoping. Pra que arriscar sua carreira esportiva com métodos para aumentar a massa muscular que prejudicariam seu desempenho e resultados, então? O teste antidoping neste sentido não teria justificativa. Se atletas profissionais procuram meios de aumentar sua força, velocidade, agilidade e massa muscular (da forma correta ou ilegal) ao ponto de levantar suspeitas de uso de doping, não seria esta uma atitude na contramão da opinião desses “gurus”? Não deveríamos continuar com nossas séries com pouco peso e diversas repetições e deixar a Rebeca Gusmão levantar 160 kg no supino, afinal ela vai nadar mais devagar com todo esse “excesso de músculo” mesmo!
Sinceramente gostaria de fazer uma pesquisa com atletas como o atacante Adriano do futebol, Rafael Nadal do tênis, Nenê do basquete, Diane dos Santos da GO, Kitajima da natação – só para citar os que lembrei de momento – e perguntar a eles se o “excesso de massa muscular” que apresentam prejudica suas performances, tornando–os lentos ou muito rígidos. A resposta me parece meio óbvia…
Portanto se você concorda que ter velocidade, força, potência, agilidade e massa muscular são qualidades que o atleta de sua modalidade esportiva deva possuir, mas de forma LEGAL, então treinar com pesos de maneira específica me parece um método adequado de se treinar força. Lembrando que treinar com pesos de maneira correta e específica não se limita a usar aparelhos e métodos tradicionais de musculação. Aqui no site procuro sempre dar espaço para diversos métodos dentro do universo do treinamento esportivo : pliometria, levantamento olímpico e básico, treinamento funcional, kettlebelt, etc.
Por: João Coutinho - Preparador físico de atletas juvenis e profissionais de tênis - Bel em esporte pela USP.