segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Sal de Ervas

SAL DE ERVAS
(para substituir o sal. A dica é colocar no saleiro que vai à mesa)

Receita I

Misture em porções iguais:
orégano,
alecrim, manjericão, cheiro verde, alho e cebola
desidratados. Compre estes temperos já secos.

Bata no liquidificador, guarde em vidros tampados e use
substituindo o sal.


Receita II

Vinha D'alho sem sal - Bata no liquidificador:
1 cebola
1 colherada de pimenta malagueta
3 dentes de alho
1 pitada de pimenta do reino
1 pitada de páprika (facultativo)
1 pitada de noz moscada ralada

Depois de moído, coloque 2 xícaras de vinagre.
Junte uma colherada de azeite de oliva, misture bem e
engarrafe. Usado sobre a carne, batatas ou verduras este
molho disfarça até certo ponto a ausência de sal.


Receita III

Ingredientes
2 colheres de chá de alho em pó
1 colher de chá de manjericão
1 colher de chá de orégano
1 colher de chá de raspa de limão ralada

Preparo
Bater os ingredientes no liquidificador. Armazenar em um recipiente para sal e utilizar como substituto deste na hora de temperar os alimentos.

Dica: Acrescentar alguns grãos de arroz cru para evitar que fique empedrado

domingo, 27 de novembro de 2011

Cake de Legumes Light


Ingredientes


- 1 xícara (chá) de abóbora picada cozida
- 1 xícara (chá) de vagem picada cozida
- 1 xícara (chá) de alho-poró fatiado (a parte branca)
- 1 cebola picada
- 2 dentes de alho picado
- 1 tomate picado
- sal e pimenta a gosto
- 1 colher (sopa) de óleo de canola
- 1 gema
- 3 claras em neve
- 1 xícara (chá) de queijo cottage ou ricota
- margarina light para untar



Modo de Preparo


Aqueça o óleo e refogue a cebola, o alho, sal e acrescente o tomate. À parte, bata as claras em neve com 1 pitada de sal. Reserve. Pegue uma vasilha, esfarele o queijo cottage ou (ricota) e misture a gema, sal, pimenta, a abóbora, vagem, o alho-poró e o refogado. Acrescente delicadamente as claras em neve e coloque numa forma untada com margarina light. Leve ao forno para assar por 30 minutos aproximadamente.


Valor nutricional e calórico por porção


calorias = 100 kcal
carboidratos = 6.9 g
proteínas = 5.5 g
lipídios = 7.4 g

Receita: Bolo de Aveia Protéico

1 ovo
2 claras
2 colheres (sopa) de margarina light
1 xícara (chá) de açúcar mascavo
1 1/2 xícara (chá) de leite desnatado
1 xícara (chá) de farinha de trigo (usei trigo integral)
1 xícara (chá) de farinha de aveia
1 colher (café) de cravo em pó
1 colher (chá) de canela em pó
1 colher ( sobremesa) de fermento em pó
1 dose de um mix protéico de sua preferência
Modo de Preparo:
Bata as 3 claras em neve e reserve-as. Na batedeira, junte a gema e a margarina. Aqueça o leite, dissolva o açúcar mascavo e misture na batedeira. Continue batendo e acrescente, aos poucos, as farinhas, o suplemento, a canela e o fermento. Retire da batedeira, acrescente as claras em neve e misture delicadamente. Asse em forma untada com margarina e enfarinhada com farinha de trigo, em forno pré-aquecido a 180°C por 45 minutos.

OBS.: este bolo pode ficar um pouco seco pra alguns, mas é uma delícia. 
Quem fizer, pode mandar a fotinha que eu publico aqui.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Receita: Mingau Protéico

Humm, neste tempo doido que está aqui em Goiás, veio-me uma sugestão do meu amigo Djalma Batista Personal Trainer:


1 dose de mix protéico de qualquer sabor
6 col sopa de aveia em flocos
150ml de água fervente
1 banana
1 punhado de uva passas, nozes ou castanhas
Canela para salpicar


Mistura a aveia, o suplemento proteico de sua preferência e coloque em água fervente.
Depois acrescente as frutas e a canela.

Fica uma delícia!

Ah, quem for o 1o a fazer tira a foto e manda para que eu possa publicá-la aqui.

Abraços!

Dieta do UFC: lutadores perdem até 10 kg em uma semana

O MMA (Mixed Martial Arts), luta que mistura uma série de artes-marciais, está mais popular do que nunca. Ídolos como Anderson Silva, José Aldo Jr., Maurício Shogun e Júnior Cigano já são reconhecidos e admirados por sua força no octógono do Ultimate Fighting Championship (UFC) – o maior campeonato de MMA do mundo.

Mas bravura mesmo os lutadores têm que demonstrar na semana pré-pesagem. Para atingir o peso e poder se enquadrar em uma determinada categoria, poucos dias antes da luta eles submetem-se a uma dieta rígida e atividades que lembram sessões de tortura. 

Quanto mais o dia da pesagem se aproxima, mais restrito fica o cardápio. A refeição principal (muitas vezes a única do dia) é algo como uma xícara de café com dois biscoitos de gergelim; 80 gramas de salada, 200 gramas de macarrão, 200 gramas de salmão sem sal e um suco de limão sem açúcar. Até água destilada os lutadores tomam com o intuito de acelerar o metabolismo. 

Como não é apenas a alimentação que ajuda na rápida perda de peso, para eliminar a maior quantidade de líquido possível do organismo, eles turbinam a queima calórica: usam um body sauna - roupa especial que ajuda o lutador a aumentar a temperatura corporal, suar mais e, consequentemente, perder peso – e passam horas em uma sauna ou em banheira quente, suando desesperadamente. 

“É praticamente líquido que se perde. Eles quase não têm gordura para queimar”, diz Sérgio “Babu” Gasparelli, técnico especializado em luta de chão, faixa preta de jiu-jitsu. “Eu só faço essa dieta na semana da luta, tiro 10 quilos de segunda a sexta”, declarou o lutador José Aldo. 

A “dieta”, que também tem uma versão conhecida como Dolce Diet, idealizada pelo nutricionista esportivo americano Mike Dolce, é famosa por conseguir que lutadores com problemas de peso consigam atingir o índice de sua categoria. “Esse método restringe a ingestão de carboidrato a quase zero e induz a um processo de desidratação do atleta. 

Mas não é saudável perder 10 kg em uma semana. Para uma pessoa normal, isso pode causar danos irreparáveis”, alerta o endocrinologista e médico do esporte Ronaldo Arkader, do Hospital Albert Einstein, de São Paulo. 

Até para os atletas o médico aponta riscos. “Eles precisam ser bem acompanhados, por fisiologistas e nutricionistas. É essencial estar atento aos níveis de sódio, de potássio, enfim, de eletrólitos de modo geral para não comprometer a saúde”. Desbalanceado, o organismo pode entrar em pane, levando o atleta a ter de tonturas e câimbras a problemas maiores e mais perigosos. 

O técnico “Babu” também condena a dieta do UFC. “Minha teoria é que é melhor perder peso aos poucos. Ou seja, fora da luta não deixar o atleta aumentar tanto o peso. Perder 5 kg quando o combate se aproxima, tudo bem. Agora, perder 10, 12 em tão pouco tempo é loucura. É insalubre”. 

Para uma pessoa comum, é totalmente desaconselhável. “Ela não aguentaria e nem faz sentido esse sacrifício. Se uma mulher usar o método com a intenção de ficar em forma para colocar o vestido em uma festa, por exemplo, corre o risco de não chegar a essa festa. Câimbra, tontura e desmaio são algumas das consequências”, compara o técnico de MMA. 

E no caso dos lutadores, no dia seguinte à pesagem eles praticamente recuperam tudo o que foi perdido. Seria impossível manter o esquema de fome e fraqueza e depois encarar uma luta no octógono. 

A dieta é tão delicada que até a volta da comida deve ser gradual. “O alimento passa a ser rejeitado pelo corpo. É preciso reprogramar o organismo”, diz Arkader. “O lutador tem que começar repondo com soro, líquidos e até papinha de nenê, antes de encarar o prato normal”, finaliza “Babu”. 



Fonte: Ethika Suplementos