quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Metabolismo de Gorduras e Gasto Calórico

Fonte: Dr. Antonio Herbert Lancha Jr.


Estivemos no congresso do Colégio Americano de Medicina Esportiva (ACSM) em Indianápolis. Entre as várias e interessantes apresentações que assistimos uma em especial trouxe relevantes informações, no que diz respeito a metabolismo de gorduras e gasto calórico.

Nesta sessão foram apresentados os principais fatores desencadeantes do aumento de gordura corporal. O mecanismo apresentado enfatiza que o gasto diário de carboidrato para uma pessoa sedentária é de 1.000 kcal e a reserva de 2.000 kcal. Já a gordura apresenta gasto diário de 160 kcal e uma reserva de 160.000 kcal.

Assim, o consumo diário de carboidrato até 1.000 kcal, para um indivíduo sedentário, apenas repõe o gasto. Estudos mostraram que em apenas 9 horas de maior consumo de carboidratos, já houve aumento proporcional da oxidação do mesmo, isto é, da queima. 

O consumo maior que 160 kcal de gordura/dia para o mesmo indivíduo eleva a reserva deste nutriente, visto que sua oxidação não é estimulada pelo consumo de gordura. De forma aplicada, para queimar o consumo adicional de gordura, é necessário elevar o gasto calórico pelo aumento da intensidade e não pela duração do exercício. 

Também foi abordada a alteração na taxa metabólica basal (TMB-gasto energético para manter o funcionamento do organismo diariamente) em indivíduos submetidos à restrição alimentar. Nestes casos, rapidamente o organismo se reorganiza e reduz seu gasto calórico total, dificultando o processo de emagrecimento e, muitas vezes, justificando o fracasso em manter-se o peso corporal após sua redução. 

Os cálculos de predição da TMB, após emagrecimento, perda de peso, podem superestimar estes valores em até duas vezes o real. Justamente porque estes cálculos não levam em consideração a adaptação do organismo ao período de restrição. Os autores acreditam que o organismo aja, protegendo seus estoques, evitando reduzir a gordura corporal. 

Neste mesmo seminário foi abordado, que a redução do consumo de carboidratos pode levar à redução do conteúdo de glicogênio, que por sua vez estimula a fome por mecanismos ainda incertos. Acredita-se que o próprio músculo atue liberando substâncias que estimulam a fome, principalmente de doces.

Portanto, mexa-se e muito, cada vez a atividade física se torna mais importante para mantermos a forma e a saúde, mas tão importante quanto fazer atividade física, é fazê-la na intensidade correta. Por isso, faça um teste ergoespirométrico e encaminhe ao seu treinador.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Corpo Escultural: Muito mais que uma escolha.

Tenho visto alguns posts no Facebook dizendo que é melhor ser gordinha por causa disso e daquilo e blá blá blá... nem entrarei nos detalhes por acreditar que todos conhecem a tal publicação.

Não estou aqui pra julgar intelecto de ninguém, mas existem atletas profissionais que são médicos, nutricionistas entre outras profissões.

Não está em jogo intelecto. O que está em jogo ao meu ver é DETERMINAÇÃO, COMPROMISSO, ABNEGAÇÃO, DISCIPLINA, DIETA RIGOROSA, TREINO PESADO, DESCANSO, ANOS DE PRÁTICA e muito, mas muito AMOR AO ESPORTE!!!

Enquanto ouço centenas de mulheres dando desculpas vejo outras determinadas a trabalhar em prol do sonho.
Enquanto vejo um bando de mulher que acha lindo e maravilhoso morrer de tanto beber em baladas eu vejo outras que acham lindo e maravilhoso dormir um bom sonho anabólico.
Enquanto vejo um bando de mulher que só come bobagens vejo outras que tem prazer em seguir uma rigorosa alimentação.

Enquanto vejo um bando de mulher preguiçosa ao extremo vejo outras que levantam super cedo pra treinar pesado ou vão quase de madrugada pra treinar pois é o único horário que têm disponíveis.

Enfim, poderia citar vários exemplos.

Aqui a questão é outra. É muito mais do que uma simples escolha.

Pedro Solozabal.